Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2009

O quarto e o leitor

Iluminismo e Totalitarismo: a propósito de um artigo de Luiz Felipe Pondé e do filme O Leitor, dirigido por Stephen Daldry

Jaldes Reis de Meneses


O reverso do que nós pensamos nos atrai - os que gostam de pensar, é claro -, com ele (o reverso) devemos criar o saudável hábito de estabelecer diálogo. Decifrar a esfinge antes que ela, jibóia, nos engula. Embora discorde, no mais das vezes, costumo prestar bastante atenção à coluna do teólogo e filósofo Luiz Felipe Pondé às segundas feiras no site do jornal Folha de S. Paulo. A escrita conservadora (esta a palavra exata) do autor é cortante a despertar quase sempre o meu fascínio, mesmo que montada sob o chão de uma espécie (irrefletida e involuntária) de fraude histórica e retórica monumental: a idéia de que o pensamento conservador moderno instaurou a dúvida metódica contra as pseudo "certezas" do iluminismo. Sucede que no plano da história ocorreu exatamente o inverso: a dúvida é que é iluminista contra as certezas da tradiçã…

O lado B da Bossa Nova

Em meu passado jaguaribense, havia a noção de B - segundo lado de um disco de vinil (com as pérolas que não tocavam no rádio), segundo caderno dos jornais (de cultura, ou nas pequenas cidades, o caderno dominical), plano B (em política ou na guerra, ação substitutiva quando a preferencial não deu certo). Pois há um lado "B" da bossa nova, tão boa quanto a batida de João Gilberto, os versos de Vinicius e as harmonias de Tom Jobim (gosto dos três e não vejo contradição irremediável entre o lado A e o lado B). O lado B talvez seja o lado mais democrático. O lado Carlos Lyra da bossa nova. O lado musical-instrumental, mais decibéis e mais metálico, do Sambajazz e do Sambalanço, de Silvio César e Wilson Simonal, de Lenny Andrade e Elza Soares, Sérgio Mendes e Pery Ribeiro, de Durval Ferreira e Maurício Einhorn. E João Donato, o ritmo latino da bossa nova! Roberto Menescal como mecanismo de passagem entre o lado A e do lado B. Caetano Veloso tem falado em Transamba. Ok, mas transa…