Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2010

Francisco de Oliveira, Doutor Honoris Causa da UFPB

Jaldes Reis de Meneses

Artigo postado no portal www.wscom.com.br

Na próxima segunda-feira (22/11), às 19:00 horas, no Auditório do CCSA, em Sessão presidida pelo Reitor Rômulo Polari, o professor Francisco de Oliveira, 76 anos, vem de São Paulo, onde reside desde os anos setenta, receber o merecido título de Doutor Honoris Causa da UFPB.

Chico, como é carinhosamente chamado em sala de aula e seminários universitários, talvez seja o último sobrevivente de uma geração, mais que de intelectuais, de heróis: com pouco mais de vinte anos, recém-graduado em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco e funcionário do quadro técnico do Banco do Nordeste, foi chamado por Celso Furtado, sem apadrinhamento político de qualquer espécie, a assumir a Vice-Presidência da SUDENE. Na verdade, mais que Vice-Presidente, Chico de Oliveira compartilhou com Celso uma espécie de direção política do período mais importante da história do nordeste brasileiro. Fez história muito cedo, estava com Miguel Arra…

Ricardo Coutinho: novo bloco histórico ou circulação das elites no poder?

Jaldes Reis de Meneses

Guardadas as devidas proporções, a vitória de Ricardo Coutinho ao cargo de governador da Paraíba produziu uma corrente de expectativas e esperanças comparável a primeira vitória de Lula à presidência do Brasil em 2002 (ou mesmo de Barack Obama nos Estados Unidos em 2008). Raramente, mesmo que seja tão somente um raio em céu azul, um diáfano feixe de ilusão, o nosso povo dá-se ao prazer de sorrir de felicidade “da” e “com” a política. Indubitavelmente, a vitória de Ricardo Coutinho é um desses casos.

Como explicar uma vitória que a muitos, menos ao próprio candidato, parecia uma missão quase impossível? A pergunta conduz a um dos problemas mais complexos do pensamento político: a questão da previsão.

A propósito das ciladas de quem se arisca a prever em política, Gramsci escreveu uma atraente frase: só prevê quem age ou opera, ou seja, a melhor previsão é feita por quem vive o processo político de dentro, situado no próprio olho do furacão. Em política, prever, di…